Faz dois anos que me apaixonei por ele

Faz dois anos que me apaixonei por Davi.

E lembro com tanta vivacidade do dia que o vi em minha frente pela primeira vez. Ele é do meu tamanho, então tive o privilégio de olhá-lo nos olhos sem ter que erguer a cabeça. Os olhos de Davi são uma mistura de azul com cinza e açúcar. Estava um dia ensolarado; e os olhos dele tinham a cor do meio-dia. Seu olhar azul foi o que primeiro me chamou a atenção. Depois, a voz de veludo.

Eu jamais imaginei que o veludo de sua voz seria meu cobertor nos dias seguintes. A voz de Davi se transforma no bordado das minhas orações.

Davi é tatuado, tem piercing e calos nas mãos. O que piora ainda mais a situação dele é que ele tem sorriso de ladrãozinho, daqueles que roubam o lanche da gente, para depois devolver com cara de quem é muito santo. No fim das contas, todo o seu apetrecho modernoso contrasta com critérios de personalidade rigorosos e até antiquados que ele carrega no caráter. Por exemplo: Davi se recusa a visitar uma cartomante, mesmo que apenas por brincadeira. Até aí, tudo bem. Mas acho isso tão contradizente com o piercing que brilha em sua sobrancelha esquerda.

Me apaixonei perdidamente por Davi no dia em que ele me olhou com muita seriedade e disse: não se apaixone por mim. Foi com raiva, indignação e dentes rangendo que retornei seu olhar dizendo: não me apaixonei.

Fiquei sabendo depois que Davi falou isso necessariamente para procurar em mim alguma força justiceira que fizesse nascer a planta do amor proibido. Deu certo. Caí igual um patinho.

Cada pessoa carrega, em sua essência, três chances para fisgar um ser humano para seu coração. A primeira é mostrando uma foto sua de infância. As crianças carregam, em seu rostinho redondo, um poder amoroso que talvez tenha nascido junto com o capítulo de Gênesis, na Bíblia.

A segunda chance de ganhar a paixão alheia é chorando. Isso mesmo, pode notar: parece que a gente gosta mais de uma pessoa, depois de vê-la chorando. Chorar é mostrar o documento que prova que você tem um coração – e bem grande. Ver uma pessoa chorando é quase o mesmo do que entrar no quarto dela e ver sua gavetinha de segredos. Chorar é muito íntimo e amoroso. Quando alguém chora, automaticamente a pessoa do lado se torna o consolo, o que é muito nobre.

A terceira chance de apaixonar alguém ocorre durante uma madrugada em que se olha o céu. Porque olhar o céu de madrugada também é testemunhar a intimidade do universo – e da pessoa ao seu lado.

Tudo isso vivi com Davi, e garanto aqui, para vocês, que sou loucamente apaixonada por esse homem, o meu violeiro encantado, que merece todos os textos apaixonados do mundo.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Distrações

2 Respostas para “Faz dois anos que me apaixonei por ele

  1. Marlú

    Lindo texto.

  2. Paula Caroline

    Eu fico sem palavras depois de ler um testo destes. É lindo, e a sinceridade é perceptiva.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s