Arquivo da tag: cultural

Votação Quinto Concurso

Vote no melhor até 18 de agosto!

aquela que existe e pre-existe com o vir ou  o passar do tempo
aquela cujos efeitos são semelhantemente sentidos em diferentes pessoas em diferentes épocas
aquela que tem cujos irmãos mais novos, na ordem: a frustração, a desesperança, a depressão, e o sucumbir
aquela que é dura mas pode trazer algo positivo consigo: o sentimento de realidade
aquela que se compara com um abrir de chão para forçar a todos os ludibriados a aprender a flutuar, para evitar a continuação da queda

(Alice Pontes)

Desilusões amorosas competem com saudade, pois entre um e outro, sempre terá perdas, um perde o amor que foi conquistado ao longo do relacionamento e o outro perde um ente querido. De vez em quando, é mais fácil viver na decepção do que encarar a realidade, porém o sofrimento é constante e é o caminho mais difícil para seguir em frente. Qual é o pior? Sofrer com a realidade e seguir em frente ou sofrer na desilusão? Só o tempo nos dirá…

(Nikolas Alvarenga)

Já não há

Uma manhã de sol já não te esquenta, um por de sol  na praia já não te traz mais lembranças,
um sorriso de criança já não te faz refletir sobre a vida, um lindo filhote de coelho já não te arranca suspiros.
O que aconteceu com o seu mundo que não gira mais aos seus pés ao receber um beijo da pessoa amada, será que já não existe mais aquele encanto da inocência ou será que deixou de acreditar no impossível.
Você deixa de lado as coisas importantes e começa a se importar com o que antes era apenas obrigações, e começa a se lembrar aonde foi no caminho que a esperança se perdeu.
Afinal para que se importar, já não há oque fazer, ou será que há!

(Cristina Luciana)

Em busca dos teus olhos invernais…

O que importa se tu estás surda
para me ouvires na escuridão do
quarto e se ontem ainda choravas
quieta e dizias palavras ininteligíveis
e rias por dentro como quem faz
uma molecagem atroz; o que
importa o acinzentado de teus olhos
mais distantes e mais opacos nos
invernos do sul.

E
eram
escadarias
tuas
argumentações
de
boteco.
Nefelibata como te intitulavas, como
se isso pudesse resolver tua cólera
e o pouco sorriso. E economizavas

até nisso…!

(Jéferson Dantas)

[votação encerrada]

10 Comentários

Arquivado em Distrações