Arquivo da tag: sonho estranho

Sonho Estranho de Hoje (série)

Para quem acompanha as minhas postagens sobre sonhos estranhos no facebook, “Sonho Estranho de Hoje”, aí vai uma pequena coletânea com os mais recentes. Qual é o mais estranho, para você?

Sonhei que um amigo meu queria que eu casasse com o cachorro dele. Era um poodle branco e muito fofo.
Sonhei que tinha que cuidar de cinco filhotes de cachorro. 3 pretos, 1 branco e 1 azul. Eles davam o maior trabalho e exigiam muito a minha atenção.
Sonhei que um disco voador estava me procurando, enquanto jogava luzes na cidade. Uma hora, ele me achou, desceu até mim, e vi que duas mulheres o controlavam. Me falaram que eu deveria realizar dois projetos. Perguntei quais eram, e não quiseram me revelar. De raiva, comecei a quebrar o disco voador, e ele era todo feito de espuma (tipo aquelas de almofada).
Sonhei que Nova Iorque era logo do lado de Joinville.
Sonhei que eu tinha uma irmã que estava em coma há muito tempo. Por conta disso, eu participava de um grupo de pessoas com parentes nessa mesma situação. Todos choravam muito. Eu falei uma hora: “Sentir dor é o requinte de quem ama muito”. Acordei com o coração estraçalhado.
Sonhei que uma mulher-ninja tinha me atacado na rua, e começamos a brigar. Fiquei com tanta raiva, que dei muito soco nela. Bati tanto, que ela virou uma sacola cheia de gramado.
Sonhei que estava pescando em um rio. Mas não pescava apenas peixes – pescava passarinhos de asas azuis e cachorrinhos. Quando olhei minha cesta, estava recheada de pássaros mortos e cãezinhos machucados. Comecei a berrar e acordei sem fôlego.
Sonhei que tinha encontrado uma máquina de lavar super antiga, ela parecia mais um fliperama, toda colorida e antigona. Quando abri a portinhola da máquina, encontrei uma carteira de identidade. Era minha, de quando criança.
Sonhei que eu estava em uma casa com uma piscina, e vi que jogaram um cachorro com as patinhas amarradas na piscina. Uma criança salvou o cachorro, e eles ficaram amigos. Quando me dei conta, aquela criança era eu.
Sonhei com um cavalo que tinha cabeça de martelo.
Sonhei que a Rede Globo estava investigando a minha vida e da minha família. Quando liguei a TV para assistir ao Jornal Nacional, a Fátima Bernardes lia um e-mail pessoal que eu havia mandado no dia anterior, para a minha irmã. Pirei e acordei super chateada.
Sonhei que eu é que iria apresentar o Jornal do Almoço. Depois de ler mil vezes o roteiro de notícias, preparando-me para as câmeras, descobri a brincadeira. Era 1 de abril e meus amigos jornalistas estavam apenas tirando uma com a minha cara.
Sonhei que jacarés estavam invadindo a cidade. Manchete nos jornais: “Joinville, cidade dos dragões”. Aí a gente tinha que subir nas árvores para fugir dos bichos.

3 Comentários

Arquivado em Distrações